2T18

2T18

Diante do atual cenário econômico e impactado pela greve dos caminhoneiros, o setor de materiais de construção apresentou baixo desempenho no 2T18, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT). Neste período, a Companhia operou em linha com a demanda de mercado em seus segmentos de atuação, apesar de ser um trimestre sazonalmente de menores demandas.

O volume vendido do mineral crisotila no 2T18 foi de 24,1 mil toneladas, redução de 38,8% quando comparado ao 2T17, fortemente afetado pela greve dos caminhoneiros nos embarques das exportações nos meses de maio e junho e menor utilização do amianto na fabricação de telhas no mercado interno. A Companhia segue com sua estratégia de direcionar toda a produção para o mercado de exportação.

No mesmo período, as vendas de telhas fibrocimento foram de 101,6 mil toneladas, 31,8% menor quando comparadas ao mesmo período do ano anterior, reflexo da greve dos caminhoneiros na produção por restrição de abastecimento de matérias-primas e menor disponibilidade de produtos decorrente da transição da produção com amianto para fibra sintética, além de fatores econômicos que ainda afetam diretamente este segmento. O volume vendido de telhas de concreto foi 10,7% inferior, consequência da paralisação dos caminhoneiros.

A receita operacional líquida somou R$ 118,1 milhões no trimestre, redução de 27,8% em relação ao 2T17, impactada por menores volumes de vendas em seus segmentos de atuação, neutralizando integralmente as ações de reposicionamento de preço de telhas de fibrocimento e amianto. A receita das exportações do crisotila apresentou redução de 24,0% na comparação com o 2T17, reflexo do menor volume de vendas e da redução do preço em dólar, neutralizado parcialmente pela apreciação de 12,1% do dólar frente ao real (comparação entre PTAX médio do período 2T18 x 2T17).

No 2T18 o EBITDA ajustado foi -R$ 19,3 milhões, em função da baixa utilização da capacidade industrial, retração das vendas, menor participação do crisotila no faturamento, greve dos caminhoneiros e provisão de contingências tributárias, além de ser um trimestre sazonalmente de menores demandas. No mesmo período a Eternit registrou prejuízo líquido ajustado de R$ 32,9 milhões, em função dos aspectos comentados no EBITDA, apesar da melhoria do resultado de equivalência patrimonial e do resultado financeiro líquido.

Sobre a recuperação judicial, o Grupo Eternit apresentou, em 02 de julho de 2018, o plano da recuperação judicial a ser submetido à aprovação da assembleia de credores.
 

2016 © ETERNIT
Todos os Direitos Reservados
Notas Legais
Política de Privacidade
Condições de Uso

imgCapctha