4T17

4T17

Diante do cenário econômico apresentado no ano de 2017, o setor de materiais de construção seguiu com resultados negativos, apesar da desaceleração nas quedas das vendas, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT). Neste período, a Companhia adequou sua operação com a redução da produção e dos níveis de estoque para atender a demanda de mercado.

O volume vendido do mineral crisotila no 4T17 foi de 36,4 mil toneladas, redução de 5,3% quando comparado ao 4T16, reflexo da menor utilização do amianto na fabricação de telhas no mercado interno, enquanto as vendas para o mercado externo cresceram 61,2%, em função da estratégia da Companhia de direcionar sua produção para o exterior e das ações comerciais aplicadas, especialmente nos mercados asiáticos. 

No mesmo período, as vendas de telhas fibrocimento foram de 153,8 mil toneladas, 20,3% menor quando comparadas ao mesmo período do ano anterior devido ao baixo desempenho do setor de materiais de construção, reflexo da redução da taxa de desemprego, o maior responsável pelo adiamento de reformas; enquanto o volume vendido de telhas de concreto referente à unidade de Atibaia, aumentou 21,0% quando comparado a 2016, apesar do baixo desempenho do setor de materiais de construção, além do adiamento das obras pelos consumidores de média e alta renda que impactaram, principalmente, o primeiro semestre de 2017.

A receita líquida consolidada somou R$ 164,7 milhões no trimestre, redução de 13,4% em relação ao 4T16, impactada por menores volumes de vendas em seus segmentos de atuação, neutralizando integralmente as ações de reposicionamento de preço de telhas de fibrocimento no mercado interno. A receita das exportações do crisotila apresentou aumento de 38,7% na comparação com o 4T16, reflexo das ações de direcionar a produção para o mercado externo e a comercialização de um mix mais nobre, apesar da depreciação de 1,5% do dólar frente ao real.

No 4T17 o EBITDA ajustado e recorrente foi -R$ 2,9 milhões, em função de uma provisão pontual de contingências trabalhistas e perdas de estoques no valor de R$ 9,8 milhões, além da baixa utilização da capacidade industrial, retração das vendas, principalmente o crisotila no mercado interno. Para minimizar os impactos negativos no EBITDA, a Companhia reduziu as despesas operacionais recorrentes em 43,3%, em linha com o programa estruturado de redução do SG&A. No mesmo período a Eternit registrou prejuízo líquido recorrente de R$ 66,0 milhões em função dos aspectos comentados no EBITDA apesar da melhoria do resultado de equivalência patrimonial e do resultado financeiro líquido.

Com foco na geração do fluxo de caixa livre, a Eternit encerrou o 4T17 com uma dívida líquida de R$ 68,7 milhões, além das amortizações realizadas no período, uma redução de 41%.

Como evento subsequente, em 16 de abril de 2018, o pedido de Recuperação Judicial foi deferido pela justiça e ratificado em Assembleia Geral Extraordinária em 11 de abril de 2018. O pedido é uma medida preventiva a fim de resguardar a operação da Companhia, garantir a continuidade do seu processo de reestruturação e permitir a perenidade de suas atividades.

2016 © ETERNIT
Todos os Direitos Reservados
Notas Legais
Política de Privacidade
Condições de Uso

imgCapctha