1T18

1T18

O cenário econômico e o setor de materiais de construção apresentaram ligeira melhora no primeiro trimestre de 2018, traduzido em redução gradual da ociosidade dos fatores de produção e taxa de desemprego. Neste período, a Companhia operou em linha com a demanda de mercado, tanto na mineração do crisotila quanto na linha de produtos acabados.

O volume vendido do mineral crisotila no 1T18 foi de 32,2 mil toneladas, redução de 16,3% quando comparado ao 1T17, reflexo da menor utilização do amianto na fabricação de telhas no mercado interno, enquanto as vendas para o mercado externo cresceram 35,9%, em função da estratégia da Companhia de direcionar sua produção para o exterior e das ações comerciais aplicadas, especialmente nos mercados asiáticos. 

No mesmo período, as vendas de telhas fibrocimento foram de 106,8 mil toneladas, 36,0% menor quando comparadas ao mesmo período do ano anterior, em função de uma menor disponibilidade de produtos decorrente da transição da produção com amianto para fibra sintética, além de fatores econômicos que ainda afetam diretamente este segmento; enquanto o volume vendido de telhas de concreto, referente à unidade de Atibaia, ficou praticamente estável.

A receita operacional líquida somou R$ 129,2 milhões no trimestre, redução de 22,9% em relação ao 1T17, impactada por menores volumes de vendas em seus segmentos de atuação, neutralizando integralmente as ações de reposicionamento de preço de telhas de fibrocimento no mercado interno. A receita das exportações do crisotila apresentou aumento de 31,2%, reflexo das ações de direcionar a produção para o mercado externo e da apreciação de 3,1% do dólar frente ao real (comparação entre PTAX médio do período 1T18 x 1T17), apesar da redução do preço em dólar.

No 1T18 o EBITDA ajustado e recorrente foi R$ 4,4 milhões, em função da baixa utilização da capacidade industrial, retração das vendas, principalmente o crisotila no mercado interno. Para minimizar os impactos negativos no EBITDA, a Companhia reduziu as despesas operacionais recorrentes em 15,6%, em linha com o programa estruturado de redução do SG&A. No mesmo período a Eternit registrou prejuízo líquido recorrente de R$ 10,0 milhões em função dos aspectos comentados no EBITDA apesar da melhoria do resultado de equivalência patrimonial.

Como evento subsequente, em 27 de abril de 2018, foi adquirida pelo Grupo Eternit a totalidade da participação societária da Compañia Colombiana de Cerámica S.A.S (“Colcerámica”) na Companhia Sulamericana de Cerâmica (CSC).
 

2016 © ETERNIT
Todos os Direitos Reservados
Notas Legais
Política de Privacidade
Condições de Uso

imgCapctha